Wednesday, July 26, 2006

Dia -274

Os Nossos Mortos e os Mortos dos Outros
Os mortos dos outros são sempre os mortos dos outros.
Os nossos...
ah os nossos (ou os daqueles que nos estão próximos)...
os nossos serão sempre melhores
que os mortos dos outros.
Mais pesados,
mais significativos,
mais valiosos.
Os nossos mortos representam aquilo em que acreditamos.
E aquilo em que acreditamos por vezes inclui conceitos tão bonitos,
como por exemplo: tolerância, respeito pela vida,
solidariedade, paz.
Os mortos dos outros representam geralmente tudo aquilo que repudiamos, como seja:
o terrorismo, a violência, o desrespeito pela vida, a intolerância.
O problema é quando tudo se mistura
(porque, na realidade, tudo está misturado, como é desejável (e tão humano) que esteja).
Não sou anti-semita. Tenho simpatia pelo povo judeu. Pela sua história.
Mas tal simpatia (e a proximidade cultural (enfim, para dizer o mínimo)) de Israel ao ocidente, não me leva a ignorar que os mortos dos outros são exactamente iguais aos nossos.
E que não há grande desculpa para matar centenas de pessoas. Sejam culpadas ou inocentes.
Pessoas que, apesar de tão diferentes, são iguaizinhas a nós.
Humanos como nós.
Portanto, tão nossos, como os nossos e não outros.
A guerra é um bicho cego.
E estúpido. Profundamente estúpido.

2 comments:

José Alexandre Ramos said...

E quem há-de compreender isso?... ou melhor... quem quererá admitir que compreende isso? Nesta e noutras situações que ferem o mundo.

beijo.

LiZZie said...

Pois, como se vê... ninguém.
Beijo