Monday, December 11, 2006

Dia -412

Camadas
Devíamos viver por camadas.
Devíamos morrer juntamente com aqueles que amamos.
Deixava de haver ausência, escuridão, vazio.
Este buraco aqui dentro que nunca se encherá de outra coisa senão tristeza.

8 comments:

firvidas said...

Acredito que vivemos por camadas. Acredito tambem que morremos por camadas, só que temos de esperar a nossa vez. Todos temos bilhete, simplesmente o horário da partida é diferente, mas o amor nos une num ciclo que se repete eternamente em aventuras fantásticas. É isto que eu acredito ser a vida eterna.

Elisa said...

Hum... será... que vida nos resta depois da morte daqueles que amamos violentamente?

firvidas said...

Resta-nos um periodo de descanso até alcançar novamente a respiração. Resta tambem a certeza de ter amado e ter sido amada...e conhecer o sabor do amor profundo e violento..restam as memórias dos toques, dos sabores, das palavras. Resta a vida entrelaçada em fantasia e realidade até a entrega do bilhete. Resta a possibilidade de amar e viver.....até lá..

Elisa said...

Pois, não sei. Talvez nos reste tudo isso... mas e o que nos faltará para sempre?

firvidas said...

O que nos faltará para sempre? Seria tão arrogante de mim tentar compreender e medir essa perca...não posso imaginar..não posso imaginar..

Beijo,

M.

Cordda said...

Elisa

poderá passar a tristeza se a entendermos.

*outro e interessante*


cordda

Elisa said...

Sim, M. imagino que seja necessário um enorme esforço de imaginação para quem não passou por isso... mas não sei.

Elisa said...

Habitualmente sabemos a que se deve a nossa tristeza cordda... acho eu.