Thursday, March 30, 2006

Dia -157

A Terra de Ninguém
No meio caminho entre a mentira e a verdade.
Entre o possível e o impossível.
Onde repousa o que não pode ser dito.
É onde eu te digo.
Amo-te.

2 comments:

Anonymous said...

Nas incidências dos teus lábios corre o néctar das palavras e com elas constróis o mundo envolvente que embalas em teus braços. E assim agitas suavemente a paz na Terra como bandeira a elevar bem alto, lá, algures onde todas as fronteiras se esbatem...

LiZZie said...

a paz? Ah a paz! Pois. A paz. Eu?