Thursday, March 15, 2007

Dia -506

Dói-me qualquer coisa (acho que é o ombro direito)
O mundo pesa mesmo horrores.
Estou farta desta merda toda.
(Não sei dizer bem que merda é mas, assim mesmo, estou farta).
Construam-me uma casa em Galway, com vista para a Innismore.
Um alpendre onde sentir a chuva e observar os maravilhosos dias nublados.
Tragam todos os livros que quero ler.
Todos os meus Cd's.
Uma cadeira de balouço.
Uma mantinha.
Um cházinho de maçã com canela.
E fechem-me a porta.
Podem deitar fora a chave.
E não, não quero visitas*
*abro uma excepção para os meus pais. E outra para uma certa pessoa que, coitada, sem saber, tem contribuído bastante para que eu esteja farta desta merda toda

6 comments:

Miguel Costa said...

Elisa...
É um belo programa.
Mas sem deitar fora a chave!

Bjs

Elisa said...

Viva, Miguel
Deitar fora a chave só torna o programa mais maravilhoso. :-)
Beijos

Ana Melo said...

Quando o meu corpo dói
(http://fosseavidaumachavenadecha.blogspot.com/2007/03/protestos.html)
apetecia-me construir uma cidade só minha
(http://fosseavidaumachavenadecha.blogspot.com/2007/02/sem-ttulo_22.html)
sentir que por vezes os outros sentem igual alivia o consaço "desta merda" toda!
P.S. Vou continuar à espreita nos seus blogs. Obrigado!

Elisa said...

Pois é Ana... a malta é toda muito parecida. Temos é a mania que somos muito diferentes. Mas não. E espreite quanto quiser :-) Também vou espreitar o seu.

José Alexandre Ramos said...

onde está o gajo que provaca essa neura? ahn? diz lá, que lhe rebento a boca, com uma flor de girassol.

Elisa said...

Rs Alexandre... não é nenhum gajo que me provoca a neura. Aliás, já me passou... que raio de mania de que as pessoas (ou seria melhor escrever as mulheres) só ficam com a neura por causa de 'problemas' com gajos ou gajas! Mas rebentares a boca a alguém com um girassol é uma ideia bem simpática ;-) Obrigada por essa defesa tão poética.
Beijos